quarta-feira, 14 de junho de 2017

O GATO E O BEBÉ

Foi das coisas que mais perguntaram durante a gravidez - como vais fazer com o Alf e o bebé?

Até fiz um post sobre isso e era uma incógnita. Sabíamos que temos um gato temperamental, muito territorial e que basicamente só gosta de nós. Não nos passava pela cabeça desfazermo-nos do animal que faz parte das nossas vidas há 7 anos e que na verdade foi o nosso primeiro filho.

Mas dizer que não existia algum receio, era estar a mentir.

No dia que o Gonçalo nasceu, saí de casa cedo e sabia que ía regressar com o bebé. Passei a noite no sofá, com contrações, e o Alf esteve lá comigo. Enquanto me preparei de manhã,  o Alf não me largou e quando sai de casa despedi-me dele e disse que voltava com o bebé.

No dia seguinte o Bruno trouxe para casa a roupa do Gonçalo para o Alf cheirar. Não se aproximou dela, pelo menos que o Bruno visse. Segundo o Bruno, ele estava triste e devia sentir a minha falta.

Pois bem, no dia que voltei para casa, o Alf esperava-me à porta, como é seu hábito. Cumprimentou-me como sempre e depois cheirou muito o ovinho do bebé.

O Alf tem sido o verdadeiro irmão mais velho do Gonçalo. Está sempre por perto, vai espreita-lo, no inicio até parece que andava devagarinho para não fazer barulho. Quando o Gonçalo chora, mas chora a sério, o Alf fica aflito e mia como se nos avisasse.

Tem sido muito bom ver que o gato mau é um mano porreiro.

Nós continuamos a mima-lo, a dar-lhe colinho...varias vezes tenta vir para o meu colo quando o Gonçalo está a a mamar. Adora dormir aos nossos pés na cama e durante a noite quando o Gonçalo acorda para mamar, fica sempre atento e só volta a dormir quando vê que o bebé já está a ser devidamente alimentado.

Ainda não se deitou na cama, ou no ovo do bebé, mas algo me diz que lá para o outono, isso mudará. Estou mesmo a vê-lo trocar a nossa cama pela cama quentinha, pequena e aconchegante do Gonçalo. ;)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 5 de junho de 2017

PEQUENAS COISAS QUE TONIFICAM

Como estou decidida a exterminar a flacidez que por cá apareceu nos últimos tempos, tenho voltado a alguns hábitos e truques que utilizava antigamente.

A melhor forma de tonificar o corpo, é com exercício, mas há pequeninas coisas que feitas com frequência que fazem diferença.

1 - Terminar o duche com água fria, ou tomar o duche completo com água fria. Tonifica, oh se tonifica!!!

2 - Usar creme refirmante, pois vai hidratar a pele contribuindo para o seu poder de sustentação e vai ainda dar uma ajuda extra na firmeza da pele.

3 - Fazer 10 agachamentos em cada ida à casa-de-banho (quem diz agachamento, diz lunge ou outro exercício qualquer). Como vou muitas vezes à casa-de-banho num dia, acabo por fazer muitos agachamentos. Este exercício tonifica muito o rabiosque e as pernas, mas também ajuda a barriguinha.

4 - Andar em bicos de pés pela casa. Ajuda a tonificar os gémeos (barriga da perna) e a torná-las mais elegantes em geral.

5 - Ter sempre a barriga ligeiramente encolhida, pois ajuda a tonifica-la.

6 - Contrair o rabiosque várias vezes ao dia e aguentar uns segundos, de preferência sem ninguém ver pois não fica lá muito bonito!!!

7 - Alongar muito, de manhã, à tarde, à noite. Além de aliviar a tensão contribui para um corpo mais longo e esbelto.

8 - Beber água fresca, pois o corpo trabalha mais para deixá-la à sua temperatura e isso gasta mais calorias.

9 - Beber um grande copo de água em jejum, se possível com umas gotinhas de sumo de limão.

10 - Apertar as mãos uma contra a outra, colocando-as no meio do peito. Ajuda a tonificar os músculos que sustentam as maminhas.

Coisas fáceis, não é? Mas garanto que passado um tempo a realiza-las diariamente, a coisa melhora!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 2 de junho de 2017

PESO PÓS-PARTO

Quase um mês sem uma publicação... que vergonha!!! Mas comecei vários posts, só não tive tempo de termina-los. Vamos ver se este consigo.

O Gonçalo está quase com 2 meses e cada vez mais lindo e fofo!!! Neste momento sinto que os dias passam muito rápido e que ando um pouco ensonada, vai-se lá perceber porquê.

Mas estou a escrever este post para falar do meu peso durante a gravidez e perda de peso pós-parto.

Não foi a minha principal preocupação durante a gravidez, mas seria hipócrita se dissesse que não tive algum cuidado. Tenho visto a dificuldade que muitas amigas minhas têm sentido em perder peso depois de serem mães e como isso as leva muitas vezes a baixo. A autoestima é muito importante, e nesta fase de grande mudança e de hormonas completamente alteradas, não me venham dizer que é uma assunto secundário.

Primeiro que tudo, quando engravidei estava 2 quilos acima do meu peso habitual, mas nada que me incomodasse. Durante a gravidez houve muitas recomendações por parte da minha obstetra, para não engordar mais de 13 quilos. Para ter cuidado com a alimentação, para fazer algum exercício, pois o peso a mais poderia ser prejudicial a vários níveis, e depois do bebé nascer a recuperação seria mais difícil. Para não falar do parto, já que o Gonçalo parecia ser grandinho e se fosse gordinho, seria um parto muito mais difícil.

Entre alguns descuidos, e meses a engordar um pouco mais que outros, aumentei 12 quilos. O Gonçalo nasceu às 38 semanas, portanto acredito que chegasse aos 13 caso nascesse às 40.

Portanto, quando engravidei tinha 71 e neste momento tenho 73,3, o que me parece bom. E o que tenho feito? A parte boa é essa, não tenho feito nada que não fizesse já parte das minhas rotinas.

Continuo a evitar doces, com muito custo, fritos, charcutaria, manteiga...

Tenho comido muito peixinho grelhado e cozido, muitos legumes, sopa, fruta... agora é a melhor altura da fruta!!!

Bebo imensa água, não só porque ajuda na produção de leite, mas porque realmente tenho muita sede. Amamentar também tem essa vantagem, gasta-nos muita energia o que contribui para a perda de peso.

Hidrato a pele todos os dias, e já vos disse muitas vezes como acho isso importante na manutenção do peso e no nosso aspeto geral.

A única coisa que não tenho feito como gostaria, é mesmo a prática de exercício. Dou uma ou outra caminhada, cuido da casa e do bebé, e também voltei ao trabalho (em part-time), portanto sobra-me pouco tempo.

Para já não vou preocupar-me muito, pois o tempo não estica e, verdade seja dita, a energia também não ajuda. Prefiro aproveitar o meu príncipe nos tempos livres! Além de que o trabalho também está a terminar, vêm as férias e aí terei mais tempo.

O meu objetivo é voltar à pratica de yoga mais rotineira, pois sei que me trará muitos benefícios a vários níveis.

Na questão do aspeto físico, a altura em que me senti melhor foi mesmo durante o período em que pratiquei yoga diariamente, às vezes duas vezes. O meu objetivo é tonificar o corpo, ter flexibilidade, força e equilíbrio, portanto o peso acaba por ser secundário. Posso pesar 68 quilos e não estar feliz com o meu aspeto.

Confesso que o meu rabiosque não está nada, mas nada do meu agrado... a barriga até tolero, porque passou 9 meses a crescer, tem desculpa e não esta nada mal dadas as circunstâncias, o rabo perdeu massa muscular... e pronto, já teve melhores dias.

Agora digam-me meninas, gostariam de ficar a par desta minha nova fase e daquilo que vou fazendo, ou nem vale a pena falar deste assunto?!





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 9 de maio de 2017

POR DIA DA MÃE...

Anteontem foi dia da mãe. Foi o meu primeiro dia da mãe, como mãe! Não foi um dia diferente, porque desde que engravidei todos os dias têm sido especiais.

O Gonçalo foi muito desejado, desde o início da gravidez (mesmo antes de sabermos que era o Gonçalo) que foi muito amado e todo este percurso tem sido muito gratificante. É algo que não se explica, só se vive.

Sei que desse lado muitas mães, e pais, compreendem o que digo. E por isso partilho convosco uma musica que me acompanhou durante a gravidez, que ouvi vezes sem conta, que fazia o Gonçalo mexer-se na minha barriga e que hoje o deixa calminho, que me emocionou (e ao meu marido também) e emociona sempre que a ouço, porque descreve tão, mas tão bem, aquilo que senti e que sinto!

De Luísa Sobral, "Para ti".


Não é linda? Eu adoro!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 2 de maio de 2017

ESTOU A CRIAR UM MAL ACOSTUMADO...

Toda a gente sabe que nesta coisa da maternidade os filhos não são só nossos, são de toda a gente. Toooda a gente acha que tem direito de dar a sua opinião, mesmo que não tenha sido solicitada. Verdade ou mentira?

Agora que comecei a sair mais com o Gonçalo, a minha vizinhança anda eufórica com a presença de um bebé. Vivo numa rua onde somos o casal mais novo e estamos rodeados de avós e bisavós, logo as opiniões surgem que nem balas.

Tenho uma vizinha que durante três anos a nossa conversa não passou do bom dia e boa tarde, de repente a senhora começa a dar palpites. Num dia é porque já saímos, no outro dia é porque o estamos a habituar mal com tanto colo e depois não consigo fazer nada, no outro estamos a acostuma-lo mal com a chucha...

Depois há a prima afastada que diz que não devo dormir com o Gonçalo na minha cama, mesmo que seja porque acabou de mamar e adormecemos os dois, um porque tem a barriga cheia, outro porque está "bêbado" de sono, porque o Quintino Aires diz que as crianças que dormem com os pais não são adultos autónomos...

Há ainda a vizinha que se cruza comigo no supermercado e não me fala, mas que depois me encontra ao pé de casa e pergunta se o Gonçalo dá boas noites. É que se não dá, é porque não o canso no banho...

Bem, se eu fosse sportinguista, até citava o sr. Presidente do clube para dizer o que penso sobre tanta opinião, mas como não sou fico-me apenas pelas minhas palavras.

Sim, dou muito colo ao meu bebé, dou muitos beijos e muitos mimos e o meu marido também. Não proíbo  ninguém de pega-lo ao colo com medo de ficar mal habituado. Nunca ouvi ninguém dizer que se arrependeu de dar colo aos filhos e de ter ficado com menos tempo para arrumar a casa, mas já ouvi dizerem que se soubessem o que sabem hoje, tinham aproveitado mais porque o tempo voa. Além disso, duvido que ele queira colo daqui a 15 anos, por isso...

Prefiro que ele use chupeta, que até usa apenas para adormecer, do que ande a chuchar nos dedos ou na língua, que era o que fazia, já que são hábitos difíceis de perder. Conheço adultos que chucham no dedo, mas por acaso não conheço nenhum que use chupeta.

Quando o Quintino Aires for pai, ou pagar as minhas contas, logo penso na sua opinião. Agora prefiro dormir umas horinhas durante a noite, porque acordar de 2 em 2, ou 3 em 3 horas para amamentar, colocar a arrotar, mudar fralda,  perceber se o choro é de cólicas ou de birrinha de sono, não é propriamente tarefa fácil.

Na questão de cansar um bebé, com menos de um mês de vida, no banho, realmente não sei como fazer. Terei de deixa-lo espernear sozinho enquanto se lava, terei de lhe dar uns quantos brinquedos para se entreter e brincar na água? Ou basta deixa-lo chorar um bom bocado (sim porque ele não gosta particularmente de estar nu) e prolongar o banho para além do necessário para que fique estafado?

 A sorte é que os cães ladram mas a caravana passa. O meu filhote está a crescer lindo e saudável e é muito amado! Isso é que me importa! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 30 de abril de 2017

10 DICAS BÁSICAS PARA UMA PELE MAIS BONITA

Com muita pena minha, a minha pele não é muito bonita e não reflete de todo os cuidados que tenho há vários anos. No entanto tenho a certeza que se não tivesse os cuidados que tenho, seria muito pior. E nas alturas que ando mais esquecida e despreocupada com as rotinas de beleza, o resultado é sempre uma pele ainda mais problemática.

Por isto tudo, e já que é um assunto que faz parte da minha vida há muitos anos, escolhi as 10 dicas que penso fazerem toda a diferença no aspeto da pele. São coisas simples mas que fazem diferença.

1 - Desmaquilhar antes de limpar - Desmaquilho o rosto com água micelar bifásica, ou desmaquilhante, e só depois lavo e tonifico. Desta forma o rosto fica livre de impurezas e pronto para receber o creme.

2 - Usar hidratante adequado ao tipo de pele - Todas as peles devem ser hidratadas e a pele oleosa não é excepção. Desta forma é importante escolher formulas adequadas ao tipo de pele, para que a hidratação tenha o efeito desejado.

3 - Secar rosto com papel - É a melhor forma de evitar bactérias. Um lenço de papel é suficiente para secar todo o rosto, com pancadinhas.

4 - Usar escova ou esponja para lavar rosto - Desde que comecei a usar escova de limpeza que noto muita diferença na minha pele. Fica mais limpa e levemente esfoliada. Além disto a escova permite que seja usado menos gel de limpeza.

5 - Esfoliar rosto e corpo uma vez por semana - Não tenho esfoliado o corpo com esta frequência e já noto muita diferença na pele. Neste momento tenho os cotovelos super ásperos. Por isso considero a esfoliação muito importante nos cuidados de beleza, tanto de rosto como de corpo. A pele fica mais lisa, mais luminosa, macia e ainda permite que os cremes aplicados depois sejam mais absorvidos.

6 - Fazer automassagem - Tanto no rosto como no corpo, é muito bom aplicarmos os cremes com massagem. É uma ajudinha que damos ao produto e reflete-se na redução de celulite, de flacidez, rugas...

7 - Hidratar o corpo depois do banho

8 - Não rebentar borbulhas - Ficam marcas e a borbulha pode infetar, sendo o resultado ainda pior.

9 - Proteger a pele diariamente - O protetor solar é essencial para uma pele bonita pois protege do sol e do vento. Ajuda-nos a evitar rugas e manchas.

10 - Usar sérum - Existem vários, para vários efeitos, hidratantes, anti-manchas, anti-rugas, etc. Um sérum é mais poderoso que um creme e não deve ser esquecido nos cuidados de beleza.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 21 de abril de 2017

COMO SOBREVIVER AOS PRIMEIROS 10 DIAS DO BEBÉ

Não podia deixar de falar no tema. Quem já passou por isto, saberá muito bem do que falo. Quem não passou, vai ficar a saber da minha experiência.

Os primeiros dias podem ser difíceis. Mas penso que desde que a mãe (e o pai) esteja psicologicamente preparada para as novas dificuldades e solicitações a que estará sujeita, tudo correrá melhor.

Não vale a pena dourar a pílula e dizer que é tudo fácil e maravilhoso, mas também não vou dizer que é uma dificuldade imensa, compatível apenas com algumas personalidades. Cada caso é um caso, e haverá sempre coisas boas e coisas mais difíceis.

É otimo ser mãe! É otimo ver o ser que cresceu dentro de nós nos nossos braços. A ligação que existe entre nós é indescritível. Perceber que o bebé reconhece as nossas vozes, que segue a voz do pai, quando este se desloca e fala pelo quarto, com menos de 24 horas de vida... é tudo maravilhoso!

Mas apesar de todo este encanto a vida continua. Continuamos a ter casa, a vestir, a sujar, a comer, a precisar de fazer compras, etc. Com um bebé, temos de nos adaptar.

Eis como sobrevivi aos primeiros 10 dias com o meu bebé:

- Pedi ajuda à minha mãe, que cozinhou várias refeições e lavou e engomou roupa, nos primeiros dias depois do nosso regresso a casa.

- Limitei as visitas (em casa e na maternidade). Tive pena, mas teve de ser, pois as pessoas ficam tão eufóricas que perdem a noção das coisas. É um recém-nascido que precisa de descansar, tal como a mãe que acabou de parir.

- Descanso o mais que posso. Gosto de dormir de manhã e se puder, durmo. Descanso as pernas, a cabeça, o corpo todo enquanto o bebé dorme durante o dia.

- Divido as tarefas com o meu marido. Fazemos tudo em conjunto, e assim nenhum fica sobrecarregado. Obviamente que tudo o que envolva mais esforço físico fica-lhe entregue.

- Não deixo acumular desarrumação ou tarefas domésticas. Por muito que às vezes custe, prefiro fazer do que deixar acumular.

- Simplifico o mais que posso. Não vou pensar em limpar a casa profundamente, quando sei que neste momento isso simplesmente não acontecerá. Portanto limito-me a dar um jeitinho aqui e ali para que tudo fique minimamente limpo e arrumado, mas sem stresses.

- Continuo a cuidar de mim. Faço questão de tomar um bom banho, de usar óleo hidratante no corpo, de limpar e cuidar do rosto e, de me maquilhar caso vá sair de casa. Estas pequenas coisas são importantes para o meu bem estar físico e psicológico. O bebé fica bem entregue ao pai, portanto não há motivo para não me cuidar.

- Alimento-me e bebo muita água, pois como estou a amamentar é essencial repor as energias. É muito fácil esquecermo-nos de comer quando temos um bebé a precisar dos nossos cuidados constantes, portanto gosto de ter esse cuidado.

E é isto. Penso não estar a esquecer-me de nada. Se tiverem outras dicas, deixem nos comentários.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...